Salute

Sem medo: vamos falar dos gases, constipação e diarréia?

Gases intestinais

É normal que, nos primeiros dias após a cirurgia, você experimente uma produção maior de gases pelo seu intestino. Isso acontece em todas as cirurgias abdominais. Nada para se preocupar, porém. Apesar de incômodo, esse sintoma não tem nenhuma consequência importante para a sua saúde ou sua recuperação. E, naturalmente, melhor com o passar do tempo e a redução do inchaço do intestino no pós-operatório, o sintoma melhora.

Ainda assim, alguns hábitos podem ser evitados, para reduzir a produção de gás intestinal – não fumar, não beber em canudos, não mascar chicletes, não ingerir refrigerantes ou certos alimentos (ovos, repolho, cebola, peixes e frutos do mar, doces, leite e derivados) pode ajudar.

Apesar do que muita gente pensa, manter-se longos períodos em jejum não reduz a produção de gasesPelo contrárioaumenta, pois o intestino fica mais ativo no jejum.

Odor

Normalmente você não deverá sentir qualquer cheiro vindo de sua bolsa de ostomia, a não ser nos momentos de troca. Certos cuidados podem deixa-lo mais tranquilo em relação a esse assunto, porém. Sua dieta influencia diretamente no odor das eliminações da sua ostomia. Se isso é um problema para você, alimentos como cebola, feijão, repolho, brócolis e ovos devem ser evitados. Determinados medicamentos (antimicrobianos e vitaminas) também podem estar envolvidos no problema. Discuta o assunto com seu médico.

Algumas dicas podem ajudar a lidar com esse desagradável problema:

  • verifique a aderência da bolsa/base à sua pele – uma bolsa bem colada evita que maus cheiros vazem do sistema;
  • troque a bolsa ou faça a drenagem com frequência;
  • procure usar bolsas revestidas com filme anti-odor;
  • é possível usar desodorantes específicos para ostomia – alguns são colocados dentro da bolsa, outros ingeridos pela boca. Converse com o seu médico ou enfermeiro estomaterapeuta sobre as melhores opções de produto, posologia e dosagem para você.

Constipação

Mais frequentemente um episódio de constipação se deve a uma dieta inadequada, à ingestão reduzida de alimentos ou mesmo ao uso de certas medicações. Você poderá discutir o assunto e explorar as possibilidades com seu médico. Se você sofria de constipação intestinal antes da cirurgia, procure se lembrar das medidas que o faziam melhorar. Não use laxantes sem antes consultar o médico.

Pessoas que têm ileostomias precisam estar especialmente atentas: caso não haja eliminações por um período de 6 horas e esse quadro seja acompanhado de náuseas ou cólicas, pode se tratar de uma obstrução intestinal. É um quadro potencialmente grave, que requer atenção. Medidas como um banho morno para relaxamento ou mudança de posição (você pode ficar agachado por um período, por exemplo) podem ajudar. Caso não haja melhora, é importante procurar atenção médica imediatamente.

Diarréia

A Diarreia pode ser definida como o aumento da frequência das eliminações, com consistência diminuída das fezes (fezes aquosas), de início súbito e acompanhada de dor abdominal em cólica. Para alguns pacientes (ileostomizados, ou pessoas com colostomia transversa, por exemplo) pode ser difícil ter certeza de que se trata de um quadro de diarreia. A melhor forma de confirmar o diagnostico é medir a quantidade de eliminações. Uma ileostomia pode apresentar uma drenagem de até 1 litro por dia.

Viroses intestinais, certos medicamentos (antibióticos por exemplo), água e alimentos de procedência duvidosa podem ser causas de diarreia.

Alguns alimentos podem ajudar no controle da diarréia, então vale a pena você ajustar a sua dieta neste período, sem perder o risco da desidratação.

E porque é importante estar atento para a desidratação?

Além da perda de água, é preciso preocupar-se também com as perdas excessivas de sódio e potássio. O quadro de desidratação consiste em aumento da sede, boca seca, indisposição e redução da quantidade de urina. É um quadro potencialmente grave e precisa de atenção médica imediata.

Medicamentos e absorção

Pessoas que têm uma ileostomia, principalmente, podem ter que lidar com esse problema: alguns medicamentos, como comprimidos revestidos ou cápsulas de liberação prolongada podem não ser absorvidos pelo intestino e acabar aparecendo junto com as eliminações, dentro da bolsa. Uma classe de medicamento de uso muito comum que pode apresentar esse problema são os anticoncepcionais.

Por isso, se você encontrou na sua bolsa de ileostomia medicamentos que deveriam ter sido absorvidos, ou mesmo se faz uso de anticoncepcionais, esteja atento – é sempre recomendável abordar o assunto com seu médico.

Reto fantasma

Mesmo após a cirurgia, algumas pessoas relatam a sensação de precisar evacuar, como se o trajeto natural para eliminação das fezes através do ânus ainda estivesse presente. Isso pode acontecer e não tem nenhuma consequência prática. A maioria das pessoas diz que o mero ato de se sentar no vaso sanitário e “simular” uma evacuação natural alivia a sensação.

Seu endereço de email não será publicado Required fields are marked *

*